BlogBlogs.Com.Br
Seja bem-vindo ao blog Consciência Acadêmica.

Impressões pessoais sobre notícias ou sobre episódios cotidianos, além de informações de utilidade pública.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Nona edição de 2009

Manifestos de indignação

Nesta quarta-feira, dois atos públicos vão sacudir Fortaleza. Se você puder, compareça e prestigie.

Nesta quarta, parte dos funcionários dos serviços estaduais de saúde paralisa suas atividades e se reúnem na Praça do Ferreira, durante todo o dia, onde prestam serviços e esclarecimentos à população, conforme anunciado aqui antes de ontem. Ainda esta semana, comentarei sobre a luta dessa categoria.

No mesmo lugar, porém à tarde, haverá manifestação contra os conflitos entre israelenses e palestinos, promovida pelo PSOL, conforme o e-mail a seguir:


FIM AO MASSACRE EM GAZA!

Dia 14 de janeiro, Pça. do Ferreira, 16h
Junte-se a nós e a milhões em todo o mundo!
Desde 27 de dezembro, o Estado de Israel realiza de forma covarde um impiedoso massacre da população palestina da Faixa de Gaza. A agressão militar começou com pesados bombardeios seguidos por uma ocupação por terra que já mataram mais de 800 palestinos e deixaram mais de 3000 feridos, incluindo grande número de crianças, mulheres e idosos.

Com argumentos cínicos e mentirosos, o Estado de Israel e os grandes meios de comunicação tentam justificar mais essa carnificina. Dizem que o objetivo da ofensiva é "combater os terroristas do Hamas" e que seu exército "está fazendo todo o possível para poupar a vida de civis". Então por que a grande maioria dos mortos e feridos é de civis desarmados e indefesos? Seriam terroristas as quase 300 crianças palestinas mortas até agora pelo exército de Israel? E como devem ser chamados os soldados israelenses que apertam o gatilho e jogam as bombas?

Israel não apenas mata, mas mata de forma indiscriminada e covarde. Os primeiros bombardeios do dia 27 despejaram nada menos que 100 toneladas de bombas numa região que possui uma das maiores densidades populacionais do planeta, com 1,5 milhão de habitantes (49,1% são crianças). Foi um ataque surpresa que não deu chance para as pessoas se protegerem: num mesmo dia, 145 morreram e outras 300 ficaram feridas, incluindo crianças que voltavam da escola.

O exército de Israel é um dos mais bem treinados e equipados do mundo, e se acha no direito de matar com impunidade. Destruiu um hospital infantil, mesquitas, escolas, mercados, uma universidade, casas e prédios residenciais. O Estado de Israel diz que eram depósitos de mísseis do Hamas, mas nos destroços não havia qualquer vestígio de armas, apenas feridos e corpos estraçalhados. Não bastasse isso, vem utilizando bombas de fósforo branco, munição com tungstênio e com urânio empobrecido, armamentos proibidos pela ONU.

Em todas as guerras, multidões de refugiados fogem das áreas de conflito tentando salvar suas vidas. Mas a população da Faixa de Gaza não tem para onde fugir. Há 18 meses ela está confinada dentro de seu próprio território por um bloqueio militar israelense que não permite que ninguém entre ou saia, causando o assassinato em massa de palestinos, o que constitui de acordo com convenções internacionais um crime de guerra, um genocídio.

O Estado de Israel "justifica" o massacre acusando o Hamas de ter rompido um acordo de cessar-fogo em 19 de dezembro de 2008, quando o grupo passou a atirar foguetes de curto alcance contra o território israelense. Mas antes disso, Israel já havia rompido o cessar-fogo, primeiro em 4 de novembro, quando bombardeou e matou 6 palestinos em Gaza e, depois, em 17 de novembro quando outra vez bombardeou e matou mais 4 palestinos. Israel jamais cumpriu sua parte no acordo de cessar-fogo, que determinava o fim do bloqueio a Gaza. Em vez disso, intensificou o cerco impedindo a chegada de remédios e comida, tornando impossível a vida de 750 mil palestinos miseráveis cuja alimentação depende exclusivamente da ajuda humanitária.

A situação piora a cada hora! Além do banho de sangue, não há comida, água potável, energia elétrica, remédios nem médicos suficientes. Os hospitais não comportam a multidão de feridos que morrem aos montes sem possibilidade de atendimento e os necrotérios não têm espaço para amontoar as centenas de mortos. Médicos palestinos e estrangeiros em Gaza denunciam que o exército de Israel está atirando nas ambulâncias e impedindo-as de socorrer os feridos.

Diante da covardia e da tirania do Estado de Israel, milhões de vozes no mundo se unem para exigir o fim do massacre em Gaza. Nós também gritamos e nos solidarizamos com a luta e a dor do povo palestino. Não somos contra os judeus nem concordamos com o Hamas, mas nos opomos ao terrorismo de Estado e à limpeza étnica que o Estado racista de Israel realiza diante de nossos olhos. Solidarizamos-nos com os palestinos da mesma forma que nos solidarizamos com todas aquelas e todos aqueles que no mundo inteiro preferem lutar com dignidade a viver como animais e que por isso são obrigados a enfrentar a violência dos Estados e do capitalismo que cada vez mais semeiam a miséria e afundam o mundo em banhos de sangue.

Por uma Palestina livre! Contra o racismo, pela união e a paz entre os povos! Contra a barbárie do capitalismo e dos Estados! Por uma Terra sem amos!

ANTICAPITALISTAS CONTRA O MASSACRE EM GAZA
Contatos: 8600.3567




*****

Evangelho de 14-01-2009

Marcos 1, 29-39

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 29Jesus saiu da sinagoga e foi, com Tiago e João, para a casa de Simão e André. 30A sogra de Simão estava de cama, com febre, e eles logo contaram a Jesus. 31E ele se aproximou, segurou sua mão e ajudou-a a levantar-se. Então, a febre desapareceu; e ela começou a servi-los.
32À tarde, depois do pôr-do-sol, levaram a Jesus todos os doentes e os possuídos pelo demônio. 33A cidade inteira se reuniu em frente da casa. 34Jesus curou muitas pessoas de diversas doenças e expulsou muitos demônios. E não deixava que os demônios falassem, pois sabiam quem ele era.
35De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus se levantou e foi rezar num lugar deserto. 36Simão e seus companheiros foram à procura de Jesus. 37Quando o encontraram, disseram: "Todos estão te procurando". 38Jesus respondeu: "Vamos a outros lugares, às aldeias da redondeza! Devo pregar também ali, pois foi para isso que eu vim". 39E andava por toda a Galiléia, pregando em suas sinagogas e expulsando os demônios.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/index.php?dia=14&mes=1&x=14&y=12



*****

2 comentários:

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Amigo querido:
Fiz um post digno do Galeria. Você pode ir aos outros Blogs depois, mas primeiro vá ao Galeria. Não vai arrepender-se.
Um beijo,
Renata

biaiznha disse...

ola...
te fiz uma visita de retribuição...
gostei muito do blog!
beijao bye bia
biazinhacarnaval.blogspot.com